(31) 3889-7400 - 3889-6400   -    9 9435-6600  -    contato@visamais.com.br

Área de login
Please wait, authorizing ...
×

Relação de documentos para elaboração do Imposto de Renda Pessoa Física.
Caso não seja a primeira vez que está fazendo a declaração de IRPF necessita da cópia da declaração do ano anterior ou disquete com a gravação.

Para a elaboração do IRPF pela primeira vez documentação abaixo:
Cópia do CPF
Cópia do Título Eleitoral
Cópia de comprovante de Endereço atual
Número de telefone residentcial e celular
E-mail
Data de Nascimento
Profissão
Para elaboração da declaração de IRPF relação de documentos:
Comprovante de rendimentos Pagos e retenção de Imposto de Renda na Fonte.
Comprovante de rendimentos Recebido de Pessoa Fisíca.
Comprovante de Pagamento de Pensão Alimentícia com Nome e CPF dos alimentados.
Relação de Pagamentos e Doações efetuadas:
Despesas com instrução própria do contribuinte no Brasil
Despesas com instrução própria do contribuinte no exterior
Despesas com instrução de dependentes no Brasil
Despesas com instrução de dependentes no exterior
Despesas com instrução de alimentados no Brasil
Despesas com instrução de alimentados no exterior
Médicos, dentistas, psicólogos, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais no Brasil.
Médicos, dentistas, psicólogos, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais no exterior.
Hospitais, clínicas e laboratórios no Brasil.
Hospitais, clínicas e laboratórios no exterior.
Planos de saúde no Brasil
Pensão Alimentícia Judicial
Pensão Alimentícia – Separação/Divórcio por escritura pública
Contribuições a entidades de previdência privada
Fundo de Aposentadoria Programada Individual (Fapi)
Doação – Estatuto da Criança e do Adolescente
Incentivo à cultura
Incentivo à atividade audiovisual
Incentivo ao desporto
Advogados (honorários relativos a ações judiciais, exceto trabalhistas)
Advogados (honorários relativos a ações judiciais trabalhistas)
Advogados (demais honorários)
Engenheiros, arquitetos e demais profissionais liberais, exceto advogados.
Aluguéis de imóveis
Arrendamento rural
Doações em espécie
Doações em bens e direitos
Outros
Relação de dependentes:
Companheiro(a) com o qual o(a) contribuinte tenha fi lho ou viva há mais de 5 (cinco) anos, ou
cônjuge
Filho(a) ou enteado(a) até 21 (vinte e um) anos
Filho(a) ou enteado(a) universitário(a) ou cursando escola técnica de 2o grau, até (vinte e quatro) anos
Filho(a) ou enteado(a) em qualquer idade, quando incapacitado física e/ou mentalmente para o trabalho
Irmão(ã), neto(a) ou bisneto(a) sem arrimo dos pais, do(a) qual o contribuinte detém a guarda judicial, até 21 (vinte e um) anos
Irmão(ã), neto(a) ou bisneto(a) sem arrimo dos pais, com idade de 21 (vinte e um) até 24 (vinte e quatro) anos, se ainda estiver cursando estabelecimento de nível superior ou escola técnica de 2o grau, desde que o contribuinte tenha detido a guarda judicial até os 21 (vinte e um) anos.
Irmão(ã), neto(a) ou bisneto(a) sem arrimo dos pais, do qual o contribuinte detém a guarda judicial,
em qualquer idade, quando incapacitado física e/ou mentalmente para o trabalho
Pais, avós e bisavós que, em 2007, tenham recebido rendimentos, tributáveis ou não, até R$ 15.764,28.
Menor pobre, até 21 (vinte e um) anos, que o contribuinte crie e eduque e do qual detenha a guarda judicial.
A pessoa absolutamente incapaz, da qual o contribuinte seja tutor ou curador.
Relação de Bens e Direitos:
Prédio residencial
Prédio comercial
Galpão
Apartamento
Casa
Terreno
Terra nua
Sala ou conjunto
Construção
Benfeitorias
Loja
Outros
Bens Móveis:
Veículo automotor terrestre: caminhão, automóvel, moto etc.
Aeronave
Embarcação
Bem relacionado com o exercício da atividade autônoma
Jóia, quadro, objeto de arte, de coleção, Antigüidade etc.
Linha telefônica
Outros
Participações Societárias:
Ações (inclusive as provenientes de linha telefônica)
Quotas ou quinhões de capital
Outros
Aplicações e Investimentos:
Caderneta de poupança
Aplicação de renda fixa (CDB, RDB e outros)
Ouro, ativo financeiro.
Mercado a termo, futuro e de opções
Outros
Crédito e Poupança vinculados:
Crédito decorrente de empréstimo
Crédito decorrente de alienação
Plano Pait e caderneta de pecúlio
Poupança para construção ou aquisição de bem imóvel
Outros
Deposito à vista e Numerário:
Depósito bancário em conta corrente no Brasil
Depósito bancário em conta corrente no Exterior
Dinheiro em espécie – moeda nacional
Dinheiro em espécie – moeda estrangeira
Outros
Fundos:
Fundo de investimento financeiro (FIF)
Fundo de aplicação em quotas de fundos de investimento
Fundo de capitalização
Fundo de ações, inclusive carteira livre e fundo de
Investimento no exterior
Outros
Outros Bens e Direitos:
Licença e concessão especiais
Título de clube e assemelhado
Direito de autor, de inventor e patente
Direito de lavra e assemelhado
Consórcio não contemplado
Leasing
Outros
Tabela de Dívidas e Ônus Reais:
Estabelecimento bancário comercial
Sociedades de crédito, financiamento e investimento.
Outras pessoas jurídicas
Pessoas físicas
Empréstimos contraídos no exterior
Outros
O Profissional Liberal que irá fazer o Livro Caixa poderá ter uma redução do Imposto de Renda a pagar em até 27,5%

Relação geral de Documentos necessária para elaboração do Livro Caixa:
Pagamentos com aluguel de sala comercial
Gastos com água, luz, telefone, material de expediente ou de consumo e contratação de pessoal.
Tíquetes de caixa ou nota fiscal – comprovação de despesa que tenham discriminado a compra de material de escritório, limpeza.
As despesas devem estar discriminadas e identificadas para serem comprovadas como necessárias e indispensáveis à atividade profissional.
Imóvel residencial/profissional – No caso de imóvel residencial ser também utilizado na atividade profissional, pode ser deduzido a quinta parte de despesas com aluguel e outros.
Benfeitorias – imóvel alugado – As despesas com benfeitorias e melhoramentos feitas pelo inquilino, profissional autônomo, que contratualmente fizerem parte como compensações do valor do aluguel devido, são dedutíveis no mês do pagamento, desde que escrituradas em livro Caixa e comprovadas.
Assinatura de publicações/compra de roupas – profissional autônomo – O profissional autônomo que necessita comprar roupas especiais e publicações necessárias à sua atividade profissional pode deduzir essas despesas, desde que escrituradas em livro Caixa e comprovadas.
Contribuições a sindicatos/associações/conselhos – Essas contribuições são dedutíveis, quando relacionadas com a atividade do profissional autônomo, desde que escrituradas em livro Caixa e comprovadas.
Pagamentos a terceiros – O profissional autônomo pode deduzir pagamentos feitos a terceiros que com ele tenham vínculo empregatício, desde que escriturados em livro Caixa e comprovados.
Pagamentos a parcerias de trabalho – O profissional autônomo pode deduzir pagamentos feitos a parceiros desde que tenham recibos idôneos e escriturados em livro Caixa e comprovados
Despesas com propaganda – Essas despesas são dedutíveis, quando escrituradas em livro Caixa e comprovadas, desde que a propaganda se relacione com a atividade profissional do autônomo.
Participação em congressos/seminários – Despesas para comparecimento a encontros científicos como congressos, seminários, se necessárias à atividade exercida pelo profissional e a sua especialização, não reembolsadas ou ressarcidas, podem ser deduzidas, desde que escrituradas em livro Caixa e comprovadas, tais como taxa de inscrição, compra de publicação, hospedagem etc.
O certificado de comparecimento a esses encontros deve ser guardado para comprovação.
Serviços prestados a pessoa física e jurídica – As despesas relacionadas no livro Caixa podem ser deduzidas no cálculo do Carnê-leão, limitadas ao valor do rendimento recebido de pessoa física, de pessoa jurídica e do exterior, no mês, decorrentes da prestação de serviços sem vínculo empregatício.
Serviços prestados exclusivamente a pessoa jurídica – O autônomo prestador de serviços apenas à pessoa jurídica, que relaciona as despesas dessa prestação de serviços no livro Caixa, pode deduzi-las da base de cálculo do Carnê-leão e na declaração anual, observando que os rendimentos recebidos de pessoa jurídica não estão sujeitos ao Carnê-leão.
Honorários contábeis
Ganho ao Escriturar o Livro Caixa:
Exemplo: Ano
CRMMG R$ 532,00
SINDICATO R$ 150,00
CELULAR (1/5) R$ 350,00
Total R$ 1.032,00 x 27,5% = R$ 283,80
Ou seja, você diminui no seu rendimento tributável R$ 1.032,00 e deixa de pagar imposto sobre aquela parte do rendimento que não lhe “pertence”, pois aplica-se a tabela progressiva do IR.

Alertas quanto a infrações no Imposto de Renda:
Há diversas IMPUGNAÇÕES junto à Receita Federal de Autos de Infração em virtude do lançamento incorreto de despesas, as quais muitos profissionais deduzirem “Cursos, Seminários, Congressos e Simpósios” como “despesas com instrução”. Tais dispêndios são dedutíveis apenas no LIVRO-CAIXA, portanto, SUJEITOS A GLOSA pela Receita Federal se lançados a título de Despesas com instrução do contribuinte.

Despesas Médicas:
De forma análoga, plantões prestados por um médico a outro não podem ser lançados como “despesas médicas”, devendo-se escriturar tais serviços no livro-caixa a título de “Serviços profissionais autônomos contratados de terceiros”. Deve-se colher o respectivo recibo de pagamento, discriminando-se adequadamente o tipo de serviço prestado (auxílio em cirurgia, serviços de anestesia, substituição em plantões, atendimento a pacientes de outros colegas, etc.).
A rubrica “despesas médicas” somente deve ser utilizada nos casos de planos de saúde, tratamentos de saúde do próprio contribuinte e seus dependentes.

Desvantagem ao Escriturar o Livro Caixa:
Não há qualquer desvantagem fiscal ou financeira em se escriturar o Livro-Caixa. Ao contrário somente com sua escrituração é possível deduzir a grande maioria de despesas efetivamente realizadas pelos médicos contribuintes, portanto, o benefício de redução do IR será proporcional ao montante de despesas realizadas. Salvo se suas despesas remontarem valor inferior a 20% do rendimento, será mais vantajoso a opção pela declaração simplificada, o que na maior parte não acontece com os médicos. Para a declaração de entrega em 2006– caso a pessoa física não consiga comprovar despesa no montante de R$10.340,00 Livro-Caixa não compensará para a dedução das despesas. Esse valor passa a ser a partir da declaração de 2007 R$11.167,20.

Custo x Benefício na Escrituração do Livoro Caixa:
O médico contribuinte deverá apurar o montante de despesas que podem legalmente ser dedutíveis do Livro-Caixa, em seguida deve aplicar a alíquota a que se sujeita (15% até rendimento de R$2.625,12 mensais ou 27,5% acima de R$2.625,12 mensais, que via de regra é 27,5%. Caso o valor encontrado não seja representativo para o médico-contribuinte, evidentemente não justifica a escrituração.

Exemplo:
Um médico com rendimento anual de R$150.000,00 possui despesas dedutíveis entre R$22.500.00 e R$30.000,00 anuais.
Aplicada a alíquota de 27,5% a redução do IR corresponde a cerca de R$8.250,00 (R$150.000,00 x 20% = R$30.000,00 despesas anuais R$30.000,00 x 27,5% = R$8.250,00 de redução no IR.

Livro Caixa de Exercícios Anteriores:
É facultado a qualquer contribuinte retificar sua Declaração de Rendimentos relativa a exercícios anteriores (até 5 anos), mediante a apresentação de Declaração Retificadora. O Livro-Caixa, portanto, poderá ser escriturado e compor a Declaração Retificadora de determinado Ano Calendário.